BlogBlogs.Com.Br

CATIVA-ME

Glitter Photos

ESCREVAM-ME!

PROFESSORAS VISITANTES
FICO HONRADA COM O SUCESSO DO LINGUAGEM.
E GRAÇAS A VOCÊS!
SERIA MUITO BOM RECEBER PALAVRINHAS...
QUEM SABE SUGESTÕES,DEPOIMENTOS,ETC.
EMAIL ABAIXO:

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) ,
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto, será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes, experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos.
Se você leu, experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog, ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente, assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo, por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog, não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu, que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem-vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

Comemoração

Glitter Photos
JUNHO 2017
8 ANOS DE LITERATURA INFANTIL

quarta-feira, outubro 30, 2013

O patinho culpado > Estímulos literários > 30/10/13


Ser um patinho feio não é nada legal... Mas ser um dos irmãos bonitinhos dele também não é tão bom assim. Afinal, quem ia gostar de ver um familiar tão próximo sendo desprezado e andando por aí todo jururu? Na certa, você também se sentiria culpado.


É a partir desse ponto de vista que Silvana Tavano reconta "O patinho feio", uma história escrita por Hans Christian Andersen em 1843, mas que ainda nos diverte e emociona com seus “quacs” de sabedoria.


Ver o sofrimento do irmão e não fazer nada,também não é NADA legal! Com certeza você se sentiria culpado! E é com essa visão que a autora reconta a história clássica do pato excluído por ser diferente dos outros feita por Christian Andersen em 1843. Quem nunca viu um colega, um amigo, um irmão ser tratado mau por ser/pensar/agir diferente do grande grupo? Você conseguiu fazer alguma coisa? Ou só sentiu-se culpado? Às vezes é muito difícil, não?! Cecília ficou com muita pena do patinho feio e quis fazer um para cuidar.meu ip




Materiais necessários: Um vaso de cerâmica pequeno (usamos um rachadinho e velho/reciclando-o), pinceis, tinta acrílica, purpurina (lantejoulas, penas, pompons), papel colorido, tesoura, canetinha, olhos que mexem, tampinhas, cola quente e chenille armado (arame felpudo).meu ip

Depois de seco colar tudo com cola quente. O papel colorido virou bico. Usou 3 chenilles armado: 2 para as pernas e pés (basta enrolar a ponta numa bolinha) e 1, cortado ao meio e dobrado, para as asas. Para o chapéu uma tampinha e um pompom de enfeite em cima. A Cecília também usou um pompom vermelho para o rabo. Por fim, escolheu 2 olhos grandes e colou em cima do bico.  Para que ele fique "feio" é importante fazer tudo colorido, com tons que não combinam muito entre si.:) meu ip

O patinho culpado -- um exercício

Tarefa do (ótimo) curso da professora Noemi Jaffe: recontar uma
 história infantil conhecida a partir do ponto de vista de um personagem 
que seja insignificante na trama, sem usar a palavra "não" 
e com três palavras pouco usuais, garimpadas no dicionário.
 Segue o texto: 
Nascemos todos juntos, eu e meus irmãos. 
Acho que fui um dos primeiros a 
quebrar a casca e colocar minha cabeça pelada pra fora.
 Mamãe logo percebeu 
a nossa movimentação, deu um pulo e ficou ali, toda orgulhosa,
 soltando quacs
 de alegria cada vez que um de nós aparecia. 
Ele foi um dos últimos da ninhada, mas quando finalmente surgiu,
 mamãe
 abriu as asas, assustada, e deu um passo para trás – era um patinho 
pequeno e escuro, completamente diferente da gente. 
Preciso reconhecer: desde o primeiro momento, tive problemas para 
aceitar aquele pato esquisito como irmão. 
Era um disparate, uma verdadeira fósmea*! 
Como boa mãe, a nossa tratou de disfarçar o choque e imediatamente 
saiu chamando as amigas pra que viessem nos conhecer. 
Todas, sem exceção, perdiam a fala ao ver aquele estranho no ninho,
 confirmando a minha percepção de que havia alguma coisa muito
 errada com ele.

Nossos primeiros dias de vida transcorreram sem incidentes, 
as coisas foram acontecendo como deveriam: com mais ou menos 
dificuldade, todos nós começamos a circular, ensaiando nossos 
primeiros passos. 
Ele bem que tentava se enturmar, mas, acho que era mais forte 
que nós, ninguém o convidava
para ciscar ou passear em volta do lago. 
Isolou-se, ou nós o isolamos, desde sempre. 

No primeiro dia na água, seguimos mamãe, orgulhosos, e fomos, 
um a um, flutuando naturalmente. 
Em pouco tempo, formávamos um eito perfeito,
mas nossa harmonia sempre ficava bastante comprometida com 

aquela presença desengonçada. Invariavelmente, o patinho feio 
ficava no final da fila, esquecido e ignorado. 

Marroaz*, ele persistia, tentando a todo 
custo seguir a família que o rejeitava. 
De tanto sofrer, o pobrezinho um dia finalmente decidiu partir. 
Nem se despediu -- sabia que nenhum de nós sentiria a sua falta. 
De fato, acho que mamãe ficou aliviada. 
Fazer o quê? 
Assim é a natureza.

Mas partir foi a sua sorte. 
Soubemos que depois de vagar sabe-se lá por quanto tempo,
um dia parou para beber água onde uma família de cisnes
 brincava alegremente. 
Viu seu reflexo na água e, surpreso, olhou para os pequenos cisnes
 que vinham se aproximando dele.

Sem acreditar, olhou novamente, 

e mais uma vez, até ter certeza
do que estava vendo.

Que grande ventura: descobriu-se cisne e foi adotado por aquela família no 
mesmo dia. 

Saber disso tudo aliviou a minha culpa. 
Dizem que hoje em dia vive muito feliz, belo entre os cisnes.
E até onde sei, não guardou mágoa dos patos. 

*fósmea: ideia confusa e disparatada; indefinível.
*eito: sequência ou série de coisas que estão na mesma direção ou linha
*marroaz: teimoso, obstinado

Silvana Tavano
Sequência didática
O patinho feio

Cordel


Link para essa postagem


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário e retornarei assim que for possível.
Obrigada pela visita e volte mais vezes!
Linguagem não se responsabilliza por ANÔNIMOS que aqui deixam suas mensagens com links duvidosos. Verifiquem a procedência do comentário!
Nosso idioma oficial é a LINGUA PORTUGUESA, atenção aos truques de virus.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais sugestões...

2leep.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios