BlogBlogs.Com.Br

CATIVA-ME

Glitter Photos

ESCREVAM-ME!

PROFESSORAS VISITANTES
FICO HONRADA COM O SUCESSO DO LINGUAGEM.
E GRAÇAS A VOCÊS!
SERIA MUITO BOM RECEBER PALAVRINHAS...
QUEM SABE SUGESTÕES,DEPOIMENTOS,ETC.
EMAIL ABAIXO:

Colaboração e Direitos

Colaboração e Direitos Autorais
Olá amiga(o) ,
Fui professora dos projetos "Estímulo À Leitura",
"Tempo Integral" e a favor da leitura lúdica,
afinal, quer momento mais marcante que a fantasia da vida?
Portanto, será um prazer receber sua visita em mais um blog destinado a educação.
Nele pretendo postar comentários e apreciações de materiais didáticos de Língua Portuguesa, além de outros assuntos pertinentes, experiências em sala de aula, enfocando a interdisciplinaridade e tudo que for de bom para nossos alunos.
Se você leu, experimentou, constatou a praticidade de algum material e deseja compartilhar comigo,
esteja à vontade para entrar em contato.
Terei satisfação em divulgar juntamente com seu blog, ou se você não tiver um, este espaço estará disponível dentro de seu contexto.
Naturalmente, assim estaremos contribuindo com as(os) colegas que vêm em busca de sugestões práticas.
Estarei atenta quanto aos direitos autorais e se por ventura falhar em algo, por favor me avise para que eu repare os devidos créditos.
Caso queira levar alguma publicação para seu blog, não se
esqueça de citar o "Linguagem" como fonte.
Você, blogueira sabe tanto quanto eu, que é uma satisfação ver o "nosso cantinho" sendo útil e nada mais marcante que
receber um elogio...
Venha conferir,
seja bem-vinda(o)
e que Deus nos abençoe.
Krika.
30/06/2009

VejaBlog - Seleção dos Melhores Blogs/Sites do Brasil

LINGUAGEM FOI SELECIONADO EM JANEIRO/2011.
OBRIGADA!

Daisypath Anniversary tickers

Daisypath Anniversary tickers

Linguagem social...

Glitter Photos

Comemoração

Glitter Photos
JUNHO 2016
7 ANOS DE LITERATURA INFANTIL

sexta-feira, setembro 23, 2016

A corujinha preguiçosa>A corujinha branca>Estímulos literários>23/09/2016


A CORUJINHA PREGUIÇOSA
Livro
A corujinha preguiçosa
A corujinha era muito preguiçosa.

- Está na hora de você aprender a voar - disse um dia a mãe coruja.
Mas a corujinha respondeu:
- Eu preciso mesmo?
Ela não queria a prender a voar. Todas as quelas batidas de asas pareciam dar muito trabalho. O que a corujinha mais gostava de fazer era de ficar sentada.
- Eu estou praticando como ser uma coruja sábia - ela dizia.
- Bem, eu quero que você voe - disse sua mãe severamente. - Agora eu vou buscar um pouco de comida e se você for sábia, estará no chão na hora em que eu voltar!
A corujinha pensou bem. Se ela fosse sábia, seria capaz de pensar em uma maneira de descer ao chão sem ter de voar.
De repente, ela viu que o cavalo que morava no celeiro. A cabeça dele ficava quase na mesma altura da madeira em que a corujinha estava sentada.
Então, ela teve uma ideia...
- Socorro! Socorro! - ela gritou.
- O que está acontecendo? perguntou o alto cavalo.
- É uma emergência! - gritou a corujinha, pulando em cima das costas altas do cavalo.
- Leve-me até o galpão de ordenha!
Então o alto cavalo levou a corujinha até o galpão de ordenha.
No galpão de ordenha vivia uma vaca que não era tão alta quanto cavalo.
- É uma emergência! - gritou a corujinha, pulando em cima das costas não muito altas da vaca. - Leve-me até o chiqueiro!
Então, o cavalo alto e a vaca não muito alta levaram a corujinha até o chiqueiro.
No chiqueiro vivia um porco, que não era tão alto quanto a vaca não muito alta. Mas era era um porco grande.
- É uma emergência! - gritou a corujinha, pulando nas costas do porco. 
- Leve-me até o pátio da fazenda!
Então, o cavalo alto, a vaca não muito alta e o porco grande levaram a corujinha até o pátio da fazenda.
No pátio da fazenda vivia um cão pastor. O cão pastor não era tão alto quanto o porco grande. Ele era uma cão pastor baixo.
- É uma emergência! - gritou a corujinha, pulando em cima das costas do cão pastor. - Leve-me até o pasto!
Então, o cavalo alto, a vaca não muito alta, o porco grande e o cão pastor baixo levaram a corujinha até o pasto.
No pasto vivia uma ovelhinha. A ovelhinha não era tão alta quanto o cão pastor. Era uma pequena ovelha.
- É uma emergência! - gritou a corujinha, pulando em ciam das costas da pequena ovelha.
- Leve-me até a lagoa dos patos!
Então, o cavalo alto, a vaca não muito alta, o porco grande, o cão pastor baixo e a pequena ovelha levaram a corujinha até a lagoa dos patos.
Na lagoa dos patos havia um pato, que não era tão alto quanto a pequena ovelha. Ele era um pato pequeno.
- É uma emergência! - gritou a corujinha, pulando em cima das costas do pato pequenino. Leve-me até o celeiro.
Então, o cavalo alto, a vaca não muito alta, o porco grande, o cão pastor baixo, a pequena ovelha e o pato pequenino levaram a corujinha de volta ao celeiro.
Assim que chegaram lá, a corujinha deu um pulo das costas do pato pequenino até o chão.
Ela conseguiu!!
"Isso é que é ser sábia!" - ele pensou.
- E então, qual é a emergência? - perguntou o cavalo alto.
- Ah - disse a corujinha - eu estava só brincando. Não foi divertido?
O cavalo alto, a vaca não tão alta, orco grande, o cão pastor baixo, a pequena ovelha e o pato pequenino não acharam graça.
Seu plano tinha dado certo, ela já era bastante sábia.
- Eu vim aqui para baixo voando sozinha - contou a corujinha orgulhosamente para sua mãe, quando ela voltou.
A mamãe coruja deu um grande sorriso.
- Isso é ótimo - ela disse.
A corujinha achou que a mamãe estava feliz com ela...
Mas ela não sabia que a mamãe coruja estava observando-a todo o tempo. E, por isso, a mamãe disse:
_ Agora deixe-me ver você voar lá para cima novamente!

Desdobramentos
A corujinha branca
A pequena coruja branca
O livro conta a história de uma coruja branca, que vivia sozinha. 
Quando sai para conhecer o mundo, ela encontra várias corujas coloridas,
 e se encanta pelas cores de suas penas. 
Mas ela não é bem recebida no grupo...
Uma história tocante que celebra as diferenças e a beleza que existe dentro de cada um de nós.


Hora do conto
Outra coruja....

Aprendendo sobre a coruja

Dobraduras






Link para essa postagem


quinta-feira, setembro 22, 2016

A esquisita aranha Rita>Estímulos literários>22/09/2016


Resultado de imagem


A aranha Rita era muito esquisita... pelo menos era o que todo mundo achava, embora ela não achasse nada disso.
 Afinal, o que tem de mais tocar tambor, ter mania de colecionar coisas, gostar de uma fofoquinha (e quem não gosta?) e de viajar sozinha?
 Essa aranha muito simpática sabe muito bem que cada um tem um jeito de ser e que isso não torna ninguém melhor ou pior que os demais, apenas... diferente!
 E respeitar as 'esquisitices' (suas e dos outros) é o melhor modo de viver bem e ser feliz!
Um texto simples e lúdico que lida com a questão de relacionamento interpessoal e aceitação das diferenças como forma de adquirir autoestima e confiança. 
Livro

Atividades

Fonte
Conhecendo a aranha
AQUI
Aulas interdisciplinaridade
AQUI
Lateralidade
AQUI





Link para essa postagem


Descobrindo as cores com a Luisa>Estímulos coloridos>22/09/2016

DESCOBRINDO AS CORES COM A LUÍSA


Possibilita à criança aprender sobre as cores a partir da apresentação das cores primárias e de atividades divertidas.

Livro

Projeto
Cores no maternal
Projeto

Cores do cotidiano
aula
Artes com as mãos
AQUI

aventura_das_cores
A aventura das cores
AQUI









Link para essa postagem


segunda-feira, setembro 19, 2016

Rosinha minha canoa>Estímulos literários>19/09/2016



O livro me sensibilizou muito. Na escola onde fazia a sétima série tinha uma biblioteca enorme e escolhi o livro, porque tinha acabado de ler O meu pé de laranja lima, de José Mauro de Vasconselos. Me chamou a atenção, o título. Pensei: Por que Rosinha? Por que minha canoa? E através dessa leitura maravilhosa, percebi que a canoa falava. Vejam só! José Mauro conversou com um pé de laranja lima e com uma canoa. Há trechos de pura poesia e sensibilidade.


"Rosinha, minha canoa" é uma obra que conta a história de Zé Orocó, um homem de hábitos simples e sensível, eu diria um romântico apaixonado pela natureza em que foi criado. Gosta da vida calma sem luxo e sem preocupações longe da cidade grande. Não tem ambição. Para ele basta viver na sua terra em meio à floresta e rios, com a sua canoa, sua melhor amiga.

Zé Orocó tem uma casinha simples, tipo de um ranchinho, na beira do Rio Araguaia. Sua rotina de vida é subir e descer o rio, que conhece muito bem e descobrir pontos não explorados pelo homem. Quem o acompanha? Rosinha, sua canoa. Ele se dirige a ela como se fosse uma pessoa da família, conta seus segredos, mantém longas conversas e reflexões. Diante dessa amizade explícita com a canoa, espalhou-se a fama de louco e é internado num manicômio da cidade bem distante da sua Rosinha.

Zé Orocó critica o modo de vida dos urbanos, sempre apressados, com horário pra cumprir, carros na rua, fumaça, poluição, barulho, violência, pessoas estressadas. E afirma que louco são os homens da cidade por levar esse tipo de vida...

Enfim, uma história de pureza, amizade, fantasia, lendas, amor pela natureza e o enaltecimento pelas coisas simples da vida. Leitura cativante. Quem faz a leitura desse livro, sempre tem algo para contar!
O livro:
AQUI

Biografia e mais sobre esta obra
AQUI







Link para essa postagem


O boneco da paz>Estímulos literários>19/09/2016



Boneco da Paz

Ana convida Miguel e Bárbara para brincarem em sua casa. 
No momento de escolher a brincadeira, já começa o problema. 
Ana e Bárbara acabam se entendendo, mas Miguel fica de lado, fora da diversão. Sozinho, logo percebe que brincar sem as amigas não tem a menor graça. 
Como mudar essa situação? 
O livro mostra que as crianças podem lidar com os conflitos próprios da idade e que elas sempre encontrarão soluções divertidas para resolvê-los.


Sou da paz,
sou da alegria,
sou da emoção.
Emoção que deve ser vivida.

Nada de guerra,
nada de palavrões,
quando surgir uma briga,
não bombardeie com aviões.
Sou da paz,
sou da paz...

Sentimento de raiva
Trabalhando valores

Atividade sugestiva

Aula sobre a paz










Link para essa postagem


A influência africana no nosso idioma>Africanidades>Estímulos literários>19/09/2016


Resultado de imagem para livro A influência africana no nosso idioma

Livro



O português que falamos no Brasil tem muitas palavras de origem africana, você sabia? Isso acontece porque - principalmente durante o período colonial - os negros foram trazidos da África como escravos, para trabalhar na lavoura.


Os africanos trouxeram consigo sua religião - o candomblé - e sua cultura, que inclui as comidas, a música, o modo de ver a vida e muitos dos seus mitos e lendas. Trouxeram ainda - é claro - as línguas e dialetos que falavam.

Os povos bantos, que habitavam o litoral da África, falavam diversas línguas (como o quicongo, o quimbundo e o umbundo). Muitos vocábulos que nós usamos frequentemente vieram desses idiomas. Quer exemplos? "Bagunça", "curinga", "moleque", "dengo", "gangorra", "cachimbo", "fubá", "macaco", "quitanda"...

Outras palavras do português falado no Brasil também têm raízes africanas. Muitas delas vêm de diferentes povos do continente, como os jejes e os nagôs (que falavam línguas como o fon e o ioruba). Palavras como "acarajé", "gogó", "jabá" e muitas outras passaram a fazer parte do nosso vocabulário, foram incorporados à nossa cultura. Em geral, trata-se de nomes ligados à religião, à família, a brincadeiras, à música e à vida cotidiana.



Palavras de origem africana

Vamos viajar para a África que existe em nós?

São 8 os países que falam a Língua Portuguesa como sua língua oficial:


Nina africana


Jogos,/Africanidades









Link para essa postagem


Blog Widget by LinkWithin

Mais sugestões...

2leep.com
 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios